Quer receber inspirações no seu Email?

Você quer ser avisado sempre que houver novidades por aqui?

* indicates required

sexta-feira, 27 de março de 2020

24º aniversário de 18 anos.


Se existe realmente a crise dos 40 anos a minha começou aos 39 e ainda está andando por aqui.

No último 23 de março comemorei meu 41º ano novo, meu 41º início de um novo ciclo.

Já lá em fevereiro comecei e refletir sobre como gostaria de comemorar meu 24º aniversário de 18 anos, sobre o que meu coração precisava e me pedia neste momento.

Eu estava me sentindo cansada, precisando de pausa e isso já fazia tempo. Meu real desejo era passar essa virada de ano em um retiro e se fosse um retiro de silêncio melhor ainda, sozinha, com tempo e espaço para refletir sobre tudo o que se passou até hoje em minha vida, principalmente no últimos 12 anos, desde que me mudei para a Alemanha. Muita coisa aconteceu e eu ainda não consegui dar conta de assimilar, de colocar em ordem todos pensamentos que povoam a minha cabeça, todos os sentimentos que se trombam dentro de mim. Foram muitos lutos não vividos, muito tempo vivendo no piloto automático, muito tempo perdida de mim mesma.

Então Março chegou e com ele a ordem de se fechar as escolas, fazer Homeoffice, ficar em casa e só sair para o que fosse extremamente necessário.

Meu retiro chegou.

Um retiro bem diferente do que eu havia imaginado, mas exatamente como deveria ser. Um retiro no templo mais sagrado que pode existir, na minha casa, no meu lar e com as pessoas com quem mais tenho o que aprender.

Neste período já estive cara a cara várias vezes com muitas das minhas sombras. Passei um dia inteiro irritada, incomodada com toda a minha desordem interna. Aquela confusão de sentimentos dentro de mim precisava de espaço para se organizar. Foi um dia longo. Eu mal humorada e o marido sem saber o que tinha acontecido, se era algo que ela havia feito de "errado". Ele me perguntou o que tinha acontecido, porquê eu estava brava, se era algo com ele e eu me limitava a responder que eu precisava organizar as coisas dentro de mim. Não estava em condições de conversar ou falar sobre nada. 

Se ele tinha sua participação nessa desordem? Com certeza. Tanto ele quanto os meus filhos me fazem deparar com muitas de minhas questões, me desafiam a olhar cada fez mais fundo para mim mesma, a evoluir, a me redescobrir e jogam luz em minhas sombras.

Mas uma coisa é certa, mais do que qualquer pessoa, eu sou a responsável pelos meus sentimentos e pela forma com que eu os expresso, pelos meus atos e não atos, por tudo que eu falei ou calei, por não permitir expressar minhas emoções e sentimentos por não saber como fazê-lo ou por não querer magoar ninguém. Se eu tivesse me forçado a falar algo naquele momento eu teria certamente pedido o divórcio, tamanha era a minha angústia, irritação, frustração e tudo mais que pulava dentro de mim. Eu teria despejado tudo sem filtro em cima dele.

Passei a noite em claro (até às 5:40 da manhã) assistindo todos os episódios de um temporada inteira de Greys Anatomy, {AMO!!!} na busca de ficar um tempo sozinha comigo mesma e olhar para tudo isso dentro de mim, que estava gritando para ser visto.

Foi uma longa noite de retrospectiva total!

Revisitei e revivi todos os momentos que me angustiavam a alma e me permiti, dessa vez, viver cada um deles com a intensidade e atenção que eles mereciam e precisavam.

Mergulhei em mim.

Chorei. Senti raiva, tristeza, solidão. Tudo na medida que precisava ser. Disse o que não foi dito, mas que de alguma forma precisava sair. Posso dizer que foi uma Constelação de uma pessoa só. :-) Sem representantes, sem bonecos, mas com a energia e presença de sentimentos e emoções que precisavam ganhar o mundo e ocupar o seu lugar. Teci mentalmente diálogos inteiros e com isso consegui organizar grande parte da desordem interna.

Levantei no dia seguinte às 9:20h da manhã para a aula de yoga online (tempos de Corona Vírus) das 9:30h, mas que na verdade era às 9:00h. 🤷🏻‍♀ Fiz a aula assim mesmo e apesar de ter dormido pouco o meu dia foi leve. Não tinha mais todo o estresse e irritação que eu senti no dia anterior.

Sentimentos foram nomeados e ganharam seu lugar, do jeito que podia ser feito nesse momento, do jeito que dei conta de fazer, sem maiores cobranças, sem culpa e com o coração em paz. Tudo passou e se acomodou internamente, pelo menos por hora. 😉



Uma sexta-feira de muitas bençãos e #fiquememcasa.🙌🌟#staysafe
*
*
*
Daniele Avila - psicóloga nutricional da alma e do corpo, maga das agulhas e criatividade


_____________________________________


Você também pode me encontrar aqui:

Email: ola@arabuta-eco.com
Loja online: etsy.com/shop/arabuta
E-book Festa Junina Vegana e Sem Glúten: http://bit.ly/e-bookfestajunina


Analitics

mailchimp